Sexta, 10 Março 2017 16:50

6 anos de guerra na Síria

Escrito por

Uma mulher chora. Coberta com véu onde está escrito em árabe “Síria”. Grávida, a mulher derrama lágrimas sobre seu ventre onde estão dois bebezinhos lutando. A mãe levanta um punhal com suas mãos ameaçando de morte os frutos do próprio ventre. Esse é um dos inúmeros desenhos enviados de Alepo e de outras cidades na Síria à ACN – Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre. As cenas desenhadas pelas crianças são sobre bombardeios, morte, choro, casas destruídas, armas, fogo e guerra, e revelam o profundo sofrimento que têm passado nos últimos seis anos. Em um outro desenho, um homem com uma mala está chorando. Sua mulher com lágrimas nos olhos se despede dele. Ela usa um vestido rosa com corações.

Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco concedeu uma entrevista ao jornal Die Zeit de Hamburgo, na Alemanha. A entrevista foi realizada em italiano pelo editor-chefe do jornal, Giovanni di Lorenzo.

Sexta, 10 Março 2017 12:11

Síria: uma quaresma de lágrimas

Escrito por

Marcando o início da Quaresma de 2017 com uma carta pastoral compartilhada à ACN – Ajuda à Igreja que Sofre, o líder da Igreja Maronita em Damasco, o Arcebispo Samir Nassar, descreveu a situação na Síria em termos de um “apocalipse... um grande deserto de ruínas, edifícios pulverizados, casas queimadas, bairros transformados em cidades fantasmas, aldeias arrasadas no chão".

O Cardeal Dieudonné Nzapalainga, Arcebispo de Bangui, percorreu recentemente todas as dioceses da República Centro-Africana. Seu trajeto começou na diocese de Bouar, no noroeste do país. Enquanto esteve lá, de 22 a 24 de fevereiro, visitou a paróquia de Bozoum e a cidade de Bocaranga, onde há pouco, no início de fevereiro, protagonizou um grave episódio de violência. Seu programa também incluiu encontros com os chamados rebeldes. O padre Aurelio Gazzera, pároco de Bozoum, acompanhou o Cardeal. No dia 26 de Fevereiro, ele falou com a ACN sobre esta visita.

Terça, 07 Março 2017 12:37

"Nenhuma casa saiu imune da guerra"

Escrito por

Em conversa com a ACN – Ajuda à Igreja que Sofre, realizada no marco da Conferência Regional de 2017, a Irmã Annie Demerjian, da ordem das Irmãs de Jesus e Maria, conta que a crise na Síria continua apesar do cessar-fogo: “Na Síria, nenhuma casa saiu imune à guerra”. Continua: “Em Alepo há uma grande carência de eletricidade, não é raro só haver luz durante uma ou duas horas por dia e, às vezes, nem mesmo isso, de modo que recorremos a velas. Combustível é um problema porque o governo não é capaz de distribuí-lo”. E prosseguiu: “Em Alepo também passamos por falta d’água, moramos em uma cidade sem água e, às vezes, ficamos por um dia e meio sem água”.